sexta-feira, 15 de julho de 2011

VIVENDO A FIDELIDADE E A INTEGRIDADE





Se Deus procura os fiéis da terra para que estejam com Ele, a fidelidade, entre outras virtudes, é algo que atrai a atenção de Deus.

O que é fidelidade? É a característica de quem tem bom caráter, é fiel e demonstra respeito por alguém e pelo compromisso assumido com outrem; é sinônimo de lealdade. Fiel é aquele que cumpre aquilo a que se obrigou.

A fidelidade a Deus está sustentada em quatro pilares. Podemos ver isso na vida de Noé, que deu um dos maiores exemplos de fidelidade na Bíblia.

Em Gênesis 6.9, é dito que Noé era varão justo em toda a sua geração. Sabe o que significa isso? Que Noé era íntegro, tinha bom caráter; era um modelo de retidão e fidelidade a Deus para sua geração. Aqui está o primeiro pilar da fidelidade a Deus: ter uma vida reta, íntegra. Ninguém pode ser fiel a Deus sem integridade, sem retidão.

Eu fico triste e envergonhado com a falta de caráter de gente que diz ser cristã! É terrível constatar a falta de integridade de muitos que carregam a Bíblia debaixo do braço. Onde vamos parar com isso?

Por que certas pessoas que se dizem evangélicas compram e não pagam? Por que passam cheques sem fundos, mentem, enganam, falam mal de todo mundo, falam palavrão, entregam-se à pornografia, adquirem produtos piratas, que financiam o tráfico de drogas e outras coisas ilegais?

Porque jovens criados na igreja, filhos de cristãos fiéis, cultivam amizade profunda com pessoas ímpias e deixam-se influenciar por estas, em vez de eles as influenciarem? “Que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? “(2Coríntios 6.14).

Como um empregado que se diz cristão tem coragem de processar injustamente um patrão, para tomar dinheiro dele? Como uma pessoa que afirma temer a Deus pode associar-se a grupo de cambalacheiros e armar tramóias para tirar dinheiro do patrão ou lesar a empresa, porque um advogado mau caráter os orientou?

Como pode um patrão evangélico não assinar a carteira do seu empregado ou fazer ele trabalhar mais de 8 horas por dia sem pagar hora extra?

Com essas atitudes levianas, muitos que alegam ser cristãos estariam demonstrando fidelidade a Deus? Claro que não, pois a fidelidade a Ele está baseada na integridade pessoal. Fidelidade sem integridade não passa de religiosidade vazia.

Como pode o povo de Deus agir assim? Que sal é esse que não salga? Que luz é essa que não ilumina?

Em Filipenses 2:12b-16, Paulo exorta a Igreja: “Operai a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade. Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio duma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo; retendo a palavra da vida, para que, no Dia de Cristo, possa gloriar-me de não ter corrido nem trabalhado em vão”.

A fidelidade a Deus é sustentada pela integridade. Você quer atrair a atenção de Deus, a fim de ser abençoado por Ele? Então, acate a recomendação em Provérbios 3:3,4: “Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao teu pescoço; escreve-as na tábua do teu coração, e acharás graça e bom entendimento aos olhos de Deus e dos homens”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário