segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

PAZ DE JESUS CRISTO NO NATAL



“Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens”(Lucas 2:14).

Esta foi a alegre mensagem das multidões de anjos aos pastores quando Jesus nasceu. Essa paz prometida foi uma expressão da boa vontade de Deus para com os homens.
Apesar da inefável mensagem dos anjos, não existe paz na Terra! Em todas as camadas das sociedades em todas as nações há uma demonstração de falta de paz: há guerras entre nações, guerras no seio das famílias, guerras dentro do próprio homem, até guerras entre denominações religiosas e entre “evangélicos”. Todavia, há uma paz real, verdadeira e possível de ser alcançada pelo homem: a paz de Cristo, o Príncipe da Paz(Is 9:6,7). Esta paz começa a ser gerada dentro do ser humano, pelo Espírito Santo, logo após a conversão, ou logo após o homem aceitar o Senhor Jesus como seu único e suficiente Salvador. Assim sendo, a paz não é um estado de ausência de conflitos, como tem entendido o mundo desde as eras mais antigas, mas o resultado da restauração da comunhão entre Deus e o homem por intermédio de Cristo Jesus.
Em que consiste, então, essa Paz? Certa vez foi oferecido um prêmio à pessoa que pintasse o melhor quadro representativo da paz. Houve dois que pareciam superiores. Um retratava uma paisagem de verão; um riacho corria tranquilamente através de verdejante campina; nem a mais leve brisa agitava as árvores; o céu estava claro; duas reses pastavam à sombra de grande carvalho; uma borboleta colorida voava de flor em flor; pássaros pousavam nos galhos. Todos que viam este quadro consideravam-no um quadro perfeito da paz. Mas o prêmio foi conferido ao artista que pintou em sua tela um agitado oceano furioso, com relâmpagos cruzando o espaço; mas ao lado do rochedo, protegido por pequena escarpa, se podia ver uma gaivota branca em seu ninho; as ondas furiosas arremetiam contra seu retiro, mas ela não sentia nenhum temor; contemplava tranquilamente tudo, sabendo que estava segura em seu refúgio – isso é Paz real.
Desta feita, Paz não quer dizer estar num lugar onde não há qualquer barulho, problema, ou trabalho duro. Paz quer dizer estar no meio de todas essas coisas e ainda assim estar tranquilo no seu coração. Este é o significado da paz real. Esta é a Paz perfeita que Cristo nos dá. Ela é uma condição da alma e do espírito e independe das circunstâncias. Sua origem é o próprio Deus. Ela permanece mesmo em meio ao perigo e circunstâncias contrárias. Isaías declara: “Tu conservarás em perfeita paz aquele cuja mente está firme em Ti; porque ele confia em Ti”(Is 26:3).
A perfeita paz da alma dada pelo Deus Criador dos céus e da terra, é tão eficiente que o apóstolo Paulo disse o seguinte a respeito dela: “de todos os lados somos pressionados, mas não desanimados; ficamos perplexos, mas não desesperados, somos perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não destruídos” (2Co. 4:9). Não há poder no mundo capaz de romper ou anular os efeitos da paz que Deus nos dá em Seu Filho, Cristo Jesus.
Se você está perguntando: “O que eu faço para obter esta paz na minha alma?” Deus declara que a questão não é o que você precisa fazer, mas sim em quem você deve confiar. A paz na alma é resultado de uma vida de intimidade e submissão ao Senhor Jesus Cristo. A Bíblia nos diz que a paz de Deus está ligada à fé em Jesus, portanto: “justificados pela fé, temos paz com Deus, por Nosso Senhor Jesus Cristo”(Rm 5:1).
A paz de Deus é um bem que ninguém consegue comprar porque só Jesus pode pagar o preço exigido. É dessa paz que falam as multidões de anjos em Lucas 2:14. Todavia, depende muito de nós nos apropriarmos dessa oferta de Deus, de valorizarmos esse grandioso gesto de boa vontade de Deus para conosco, de permitirmos que a paz anunciada no Natal se torne realidade em nossas vidas. Não a paz representada pelo gorjear matinal dos pássaros... Mas representada na cruz de Cristo. Não a paz manifesta no cicio crepuscular das águas... Mas manifesta na ressurreição de Jesus. Não a paz existente no hálito gélido das montanhas... Mas no Gólgota. Não a paz fundamentada nos diplomatas das nações...Mas fundamentada no embaixador entre Deus e os homens - Jesus Cristo.
Que neste Natal agradeçamos a Deus por Jesus Cristo, que trouxe Paz aos nossos corações -"Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou. Não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize" (João 14.27).

Luciano Lourenço

4 comentários:

  1. Prezado irmão Luciano,
    A Paz do Senhor Jesus.
    Agradeço sua atenção ao meu blog. Fico feliz com seu contato. Parabéns pelo seu trabalho neste blog. Deus o abençoe. Esta é uma ferramenta excelente para ensinadores da Palavra de Deus e para evangelistas. As mensagens vão alcançando corações. Que Deus nos conceda a graça de continuar na obra do Reino. Passo a ser seu seguidor.
    Abraço fraternal do
    Professor Tavares.

    ResponderExcluir
  2. izaldil tabares de castro21 de dezembro de 2010 09:48

    Caro Luciano,
    Acabo de ler seu comentário e incentivo quanto às questões da nossa língua luso-brasileira. Obrigado! Quanto à vírgula, não se preocupe. Apesar de dispensável, já que o advérbio está próximo do verbo, vejo-a como marcação de uma ênfase pra o sentido do "sempre". Ademais, para que se preocupar se seus textos revela seu ótimo desempenho linguístico, meu irmão! Fique na Paz do Senhor.
    Grande abraço fraternal.

    ResponderExcluir
  3. izaldil tavares de castro21 de dezembro de 2010 09:51

    Desculpe.
    Eu disse "seus textos revelam..."

    ResponderExcluir
  4. Obrigado, caro irmão em Cristo! Sinto-me lisonjeado por seguir este humilde blog, que tem por finalidade subsidiar os irmãos da EBD, bem como expandir a mensagem do Evangelho do Senhor Jesus Cristo.
    Deus o abençoe sempre!

    ResponderExcluir